O mapa 3D esculpido em pedra de 4 mil anos encontrado em porão de castelo na França


As gravuras da Idade do Bronze são um mapa de parte da Bretanha, no noroeste da França, acreditam os pesquisadores. A pedra esculpida foi descoberta na região da Bretanha, na França, em 1900
BBC
Uma pedra da Idade do Bronze pode ser o mapa tridimensional mais antigo da Europa, dizem pesquisadores.
A placa, de 2 metros por 1,5 metro, foi descoberta em 1900 e acabou se perdendo na história. Mais de cem anos depois, foi encontrada novamente no porão de um castelo na França, em 2014.
LEIA TAMBÉM: Arqueólogos descobrem fábrica de cerveja ‘mais antiga do mundo’ no Egito
Arqueólogos que estudaram os padrões gravados na pedra de 4 mil anos dizem acreditar que as marcas revelam o mapa de uma área no oeste da Bretanha, na França.
Eles dizem que isso tornaria a placa o mais antigo mapa em 3D de uma área conhecida na Europa.
Mapa identifica a região da Bretanha, na França
G1 Mundo
Idade do Bronze
Acredita-se que o pedaço de rocha, conhecido como Laje de Saint-Bélec, date do início da Idade do Bronze, como é conhecido o período entre 1900 e 1650 antes de Cristo.
A peça foi descoberta pela primeira vez em 1900, durante escavações em um cemitério pré-histórico em Finistère, no oeste da Bretanha, pelo arqueólogo local Paul du Chatellier.
Mas a pedra ficou aparentemente esquecida por mais de um século.
Acredita-se que tenha ficado guardada por décadas sob um fosso no Château de Kernuz, castelo onde vivia du Chatellier. Pesquisadores que buscavam o objeto o encontraram no porão, em 2014.
Depois de analisar marcas e gravuras esculpidas na pedra, arqueólogos suspeitaram que pudesse se tratar de um mapa.
A “presença de áreas repetidas unidas por linhas” na superfície sugeria que ela retratava uma região de Finistère, disse um estudo publicado no Boletim da Sociedade Pré-histórica Francesa.
O mapa
Os pesquisadores dizem que os recortes são uma representação 3D do vale do rio Odet. Eles explicam que as linhas parecem representar a rede de rios que percorrem a área.
Um trabalho de geolocalização revelou que o território representado na laje tem precisão de 80% em relação a um trecho de 29 km do rio.
Ou seja: o mapa ainda hoje retrata em grande parte a região.
“Este é provavelmente o mapa mais antigo de um território já identificado”, disse o Clément Nicolas, da Universidade de Bournemouth, um dos autores do estudo, à BBC.
“Há muitos desses mapas esculpidos em pedra em todo o mundo. Geralmente, são apenas interpretações. Mas esta é a primeira vez que um mapa retrata uma área em uma escala específica. ”
Nicolas explicou ainda que o mapa pode ter sido usado para demarcar a região.
“Foi provavelmente uma forma de afirmar a propriedade do território por um príncipe ou rei da época”, disse ele.
A descoberta mostra que nossos antepassados tinham ferramentas de localização mais sofisticadas do que muitos podem imaginar.
“Temos a tendência de subestimar o conhecimento geográfico das sociedades do passado. Esta laje é importante porque destaca esse conhecimento cartográfico.”
Source: G1 Ciencias e Saude

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *